X
WebParceria
Menu geral Informações do website E-mail(s) de destino dos formulários Dados do usuário Páginas (geral) Padrões de página Sliders Publicação de enquetes Fundo, cabeçalho e menus Rodapé Janela de boas-vindas Página suspensa Multimídia Gerenc. de cadastros Estatísticas Ferramentas Aplicativos Informativos

Naldo Benny

diz que foi ele quem trouxe o funk ‘pro hype’

Naldo Benny falou sobre sua importância dentro do cenário do funk em entrevista ao site do jornal ‘Extra’. O cantor disse que foi o responsável por trazer o estilo musical “pro hype, pra cachê de R$ 200 mil”. Em inglês, o termo “hype” significa, em tradução literal, “propaganda exagerada”. No Brasil, a palavra passou a ser utilizada há alguns anos para definir algum tema que “está dando o que falar”. A declaração de Naldo Benny foi feita enquanto ele conversava sobre a música ‘Taca Bala’, uma de suas novas composições. “A letra é meio uma continuação da música ‘Breezy’. É autobiográfica. Cito que em 2010 eu já tava ralando. Em 2012, eu gravei com Fat Joe. Cito que cheguei primeiro. Que o hype pro funk eu fiz chegar, eu fiz acontecer”, afirmou. O artista disse que faz esse tipo de comentário “com propriedade, com humildade”. “Em 2010, não existia Anitta, Ludmilla. Ninguém tinha feito um DVD com banda, com dançarino, com a estrutura que eu busquei. Fazer com que os cachês chegassem no mesmo nível da Ivete (Sangalo), cachês de R$ 200 mil, que eu consegui, cachês altíssimos, campanhas publicitárias. Eu cheguei nessa cena de trazer o funk pro hype. De apresentar programa na Globo”, declarou. Dessa forma, segundo ele, “criou-se uma onda do funk pop”. “Eu fui fazendo as pessoas respeitarem. É isso que digo na música. Em seguida, o entrevistador perguntou se Naldo Benny conseguiu ficar rico com os cachês citados. “Não posso classificar riqueza como grana, mas a gente tem muito mais estado de espírito. Mas eu vivo tranquilo, graças a Deus.

Não tenho mais o desespero de quando vivia na favela”, respondeu o cantor. Ele completou: “Faço música por prazer, mas é justo a gente ter uma vida bacana. Consegui uma vida melhor pros meus filhos não terem a vida que eu tive. Mas estamos numa pandemia, e eu estou trabalhando. Vem álbum, música pra agosto, setembro, outubro. Um documentário sobre minha vida. Há de vir uma recompensa”. Em outro momento da entrevista, Naldo Benny falou sobre a recente polêmica nas redes sociais envolvendo Chris Brown. O cantor brasileiro é um grande admirador do artista americano – e ficou muito incomodado quando internautas debocharam quando ele falou que conhecia o astro internacional pessoalmente. “Depois de toda aquela história minha da internet, de eu contar dos meus contatos com ele, de contar que a gente se conhece, a galera brincou, fez memes. Isso me trouxe uma energia de raiva. Eu fiquei chateado, na verdade. E canetei a música no veneno. Aí, ele curtiu. E depois postou. Aí foi difícil, né, mano? Como a música deu muito certo, porque ele curtiu, decidi que o nome do álbum vai ser ‘Breezy’ (apelido de Chris Brown). Isso foi na segunda, aí, na quinta, o Chris vai e posta. Ele escreveu a mão, decidido”, afirmou. Naldo completa: “Pra quem tava com dúvidas, é isso aí mesmo. Só pude e posso agradecer muito a ele, que me traz muitas influências. E ter comprovado a veracidade de tudo que eu falo sobre a gente. Até quem quis me zoar, me botar pra baixo, acabou me ajudando. Pra que fazer um clipe com sangue nos olhos”.

Compartilhe

DIGITAL DESTAQUE ! - 2021

Flag Counter